UFSC, Florianópolis/Brasil
+55 (48) 3721-6403
ngdldu.cce@contato.ufsc.br

Ninguém quer ser vítima! Design na Farmácia Hospitalar para a sua segurança.

Ninguém quer ser vítima! Design na Farmácia Hospitalar para a sua segurança.

Você sabia que nenhum hospital do mundo é imune ao erro de medicação? Isso significa que, neste momento, em algum lugar, alguém pode estar recebendo, dentro de um hospital, um medicamento trocado ou uma dose incorreta, por exemplo. Contudo, ao contrário do que muitos pensam, esse equívoco não ocorre essencialmente por descaso dos profissionais enfermeiros, médicos ou farmacêuticos. Logicamente, a falta de cuidado por parte de um deles é uma ameaça para a saúde do paciente. Porém, mesmo que os profissionais cumpram fielmente a ética no trabalho, a ciência considera que erros podem ocorrer e, portanto, ações de prevenção devem fazer parte da rotina do hospital. E o Design pode contribuir nesse contexto.

Errar é humano, como já ouvimos tantas vezes. Erros pequenos, que não afetam nosso dia a dia passam desapercebidos. Erros que levam a fatalidades, no entanto, precisam ser evitados a qualquer custo. No ambiente hospitalar, onde erros comprometem vidas, os profissionais se unem para desenvolver estratégias de segurança. Essas estratégias funcionam como barreiras para o erro, assegurando que o profissional está alertado e, portanto, que o paciente está seguro. A grande questão é onde implantar essas barreiras. Como encontrar os pontos onde um equívoco pode ocorrer e onde o paciente pode estar em perigo.

O sistema de medicação hospitalar abrange processos internos e diferentes profissionais. Numa internação, por exemplo, cinco ou mais profissionais estarão envolvidos para medicar o paciente. Desde que o médico prescreve o medicamento até que o paciente recebe a medicação, a equipe de enfermagem e a de Farmácia ocupam-se com dezenas de procedimentos que permitirão que o medicamento chegue até o paciente. A Farmácia tem um papel central nesse processo, pois ela é responsável pela administração do principal insumo do hospital: o medicamento.

Um mapeamento realizado em um hospital público do sul do país, ajuda a entender porque a Farmácia é considerada o centro do sistema de medicação. Sem que ela efetive pelo menos oito atividades principais, os pacientes correm risco de não receber devidamente os medicamentos dentro do hospital. Essas atividades vão desde os aspectos administrativos e de logística, como encomendar, receber e conferir compras, até os técnicos: armazenar os medicamentos devidamente, individualizar unidades farmacêuticas e separar para disponibilizar à dispensação. É preciso considerar que todo o processo é ao mesmo tempo coletivo e individual. Coletivo porque envolve um grupo de pacientes, normalmente centenas. Individual porque cada paciente precisa ser atendido e tratado na sua individualidade.

Mapeamento do sistema de medicação de um hospital público do sul do país que auxiliou na identificação de oportunidades e de ações para prevenção do erro de medicação.

O mapeamento da Farmácia foi uma das atividades realizadas pela equipe do NGD/LDU-UFSC. Permitiu que os profissionais identificassem oportunidades onde, por meio do Design, são impulsionadas ações práticas voltadas à prevenção do erro de medicação. Essas ações corroboram, por exemplo, para a melhoria da legibilidade dos rótulos que identificam medicamentos armazenados, evitando trocas e equívocos de dispensação. Outro exemplo, é a colocação de alertas visuais que chamam a atenção dos profissionais em pontos de risco no processo de medicação. São barreiras que evitam que erros ocorram e que sejam extensivos aos pacientes. É o Design apoiando a segurança na Saúde, porque ninguém quer ser vítima!

 

Leia mais sobre esse assunto:

Design strategies in hospital pharmacy department: Mapping a medication system
Arina Blum, Giselle Schmidt Alves Díaz Merino, Eugenio Andrés Díaz Merino

Farmácia hospitalar como oportunidade para a gestão de design no trabalho de prevenção do erro de medicação: estudo em uma realidade brasileira
Arina Blum, Giselle Schmidt Alves Díaz Merino, Eugenio Andrés Díaz Merino

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *